Aquele Portugal x Brasil da Nike passado na Suíça, por Mário Melo

Era difícil juntar uma maior constelação de deuses do futebol, mas a Nike conseguiu-o num anúncio mítico que mostra os momentos que antecedem um jogo Portugal x Brasil.

A ação começa ainda nos túneis do estádio. Os craques das duas seleções não resistem e começam a recrear-se com a bola, trocando habilidades e fintas entre si. A brincadeira chega ao relvado e até ao exterior do estádio. Espetáculo puro ao ritmo da música “Papa Loves Mambo”. Tem de ser o árbitro a acabar com o show de bola. Não esteve com meias medidas e entrou a pés juntos sobre Ronaldinho.

Mesmo quem não se interessa muito por futebol não consegue ficar indiferente à espetacularidade deste anúncio que correu mundo e surgiu por altura do Euro 2004 (disputado em Portugal). Além de Ronaldinho, vemos tanto o Ronaldo português como o brasileiro, Roberto Carlos, Figo ou Quaresma. E ainda andam por ali Scolari, Cantona ou Totti. Eloquente. No final não é preciso dizer mais nada. Além de vermos os equipamentos das duas seleções e algumas chuteiras com o símbolo da Nike, a terminar basta a assinatura nikefootbal.com. Conheça o anúncio ou reveja-o aqui:

Chamo-me Mário Melo, tenho 28 anos e sou gestor de projeto na agência 10.digital. Na altura em que o filme saiu, vivia na Suíça. Sabem como é: português, emigrante, filho de emigrantes. Foi mesmo muito fixe ver a Seleção Nacional brilhar, ainda por cima num anúncio fantástico de uma marca planetária como a Nike. Nem imagino quanto é que a Nike investiu naquele anúncio.

Hoje, trabalhando na área, adorava saber qual o real impacto de uma campanha destas a nível global. São vários fatores que entram na decisão de compra de milhões de consumidores. Mas não duvido que contribuiu para reforçar a força e a notoriedade da marca. No meu caso, naquela altura, já tinha perdido as ilusões de ser futebolista. E também já era cliente da Nike.

Se lhe permitiu aumentar vendas, não sei. Mas que, tanto tempo depois, continua na minha memória, disso não tenho dúvidas.

 

Quer continuar a receber notícias nossas? Subscreva a nossa newsletter!

Confirmo que aceito ser contactado para fins de email marketing.*

* Campo obrigatório

“Julga-se o melhor condutor do mundo, e no entanto…”, por Gonçalo Redondo

Um anúncio televisivo com quase dois minutos não é muito comum hoje em dia. Mas há mais de três décadas, em 1986, era possível fazê-lo e a Prevenção Rodoviária Portuguesa teve um, que insistia: “Se conduzir não beba.”

Por certo muitas pessoas ainda hoje recordam este filme e, em particular, uma das suas frases, tão conhecida que chegávamos a repeti-la no quotidiano: “Está eufórico, julga-se o melhor condutor do mundo!”

O cenário do anúncio é simples. Uma paisagem de brincar, como aquelas que vemos em algumas pistas de comboio. Uma mão risca o trajeto na estrada com um lápis. A princípio certinho, com trajetórias regulares. Mas vai-se tornando mais ziguezagueante à medida que o lápis pára junto a uns grandes copos de vinho, esvaziando-os. A música tem um tom tenso e dramático e, a certa altura, após quatro copos esvaziados, o lápis sai de estrada, partindo o bico. Apesar de metafórica, a mensagem é muito explícita e forte. O filme termina com o tal apelo, sempre atual: “Se conduzir, não beba.”

Descubra ou recorde o anúncio aqui:

Mas permitam que me apresente: chamo-me Gonçalo Redondo, tenho 44 anos, e sou Developer na agência 10.digital. Quem diria que vinha acabar a trabalhar no meio de marketers e que me haveriam de perguntar pela primeira memória na área da publicidade!

Achava este anúncio muito giro – talvez por ser criança. Não sei se atingia bem as pessoas mais velhas, até porque, infelizmente, o álcool na condução sempre foi e continua a ser um dos graves problemas do nosso país. Mas o que é certo é que nunca me esqueci daquele “julga-se o melhor condutor do mundo, e no entanto”…

Gostei da estética do filme, da maneira como estava feito e, mais de 30 anos depois, ainda o recordo. Se teve influência na minha própria conduta ao volante? Não duvido que sim.

Será que há anúncios cujo retorno só se possa medir tanto tempo depois? 🙂

 

Quer continuar a receber notícias nossas? Subscreva a nossa newsletter!

Confirmo que aceito ser contactado para fins de email marketing.*

* Campo obrigatório

As pérolas publicitárias da Telecel, por Pedro Beck

Nos primórdios da fantástica aventura que foi colocar os portugueses a falar ao telemóvel, a Telecel teve campanhas publicitárias memoráveis. A mais famosa foi, sem dúvida, a do pastor que, no meio do seu rebanho de ovelhas, atendia o telemóvel com grande entusiasmo e dizia: “tou xim?! É para mim!”.

Houve também uma, na rádio, de que gostei bastante, sobre o então novo serviço de mensagens. Mas não a encontro na internet para partilhar convosco. Se bem me recordo, uma mulher deixava uma mensagem a dizer qualquer coisa como: “Olá Artur, sou a (não me lembro do nome). Conhecemo-nos há uns tempos, na festa da fulana de tal e nunca mais te vi. Precisava de te contar uma coisa muito importante e, agora, com o serviço de caixa de mensagens da Telecel, tenho a certeza que vais ouvir a minha mensagem! Espera aí. Arturzinho, vem cá deixar uma mensagem ao papá. Ouve-se então um miúdo a dizer: Olá papá”.

Mas para recordarem ou ficarem a conhecer um bocadinho do espírito bem disposto destas campanhas, aqui fica uma sobre o novo serviço de toques da Telecel. O cenário é o ambiente tenso a anteceder uma reunião de um conselho de administração. Mas mal um telefone toca com a melodia do “Malhão, Malhão”, os administradores rapidamente ficam alegres e a dançar nas cadeiras. No entanto, tiveram que disfarçar a galhofa porque entrou o presidente do conselho de administração e atendeu o telemóvel.

Pode ver o anúncio aqui:

E já vai sendo altura de me apresentar. Chamo-me Pedro Beck, tenho 48 anos e sou o CTO da agência 10.digital, daí que a minha praia seja mesmo a tecnologia.

Escolho estes anúncios como favoritos porque a Telecel me marcou muito por ter iniciado uma nova era em Portugal, no universo das empresa de serviços. Vivíamos num país em que estas empresas, na maior parte controladas pelo Estado, funcionavam na base do “quero, posso e mando” e tratavam os clientes a “pontapé”. Se não gostas come menos.

Até que apareceu a Telecel, que era completamente diferente. Apostava no “primeiro o cliente” e isso, naquela época, foi revolucionário.

 

Quer continuar a receber notícias nossas? Subscreva a nossa newsletter!

Confirmo que aceito ser contactado para fins de email marketing.*

* Campo obrigatório

A (primeira) publicidade da minha vida, por Pedro Girão

Campanha favorita de Pedro Girão, CEO da 10.digital.

Será que se, lá para os seis anos de idade, não tivesse visto aquele anúncio da Coca-Cola Argentina, hoje faria o que faço?

A verdade é que aquele anúncio, visto por mim há 22 anos atrás, foi o primeiro caso de amor por uma marca e pela área na qual trabalho hoje. Diz-se que o primeiro amor nunca se esquece, não é verdade?

Aconteceu em meados dos anos noventa. Não tínhamos net em casa e mesmo o computador era uma novidade. A minha mãe chamou-me e mostrou-me o vídeo. Apaixonei-me.

Não o vou descrever. É algo que tem de ser visto (e com som).

Hoje tenho a sorte de ser CEO na 10.digital e de poder trabalhar com a minha paixão todos os dias da minha vida. O sorriso e o encanto com um trabalho bem feito, continuam o mesmo do daquele miúdo de seis anos.

E, quanto mais me dedico a esta área, mais me apaixono por cada palavra conjugada com cada imagem naquele anúncio. Com a forma como nos fazem ver um preservativo num fundo de uma lata só usando a palavra certa. Com o ritmo do texto. Com a repetição estudada. Com a cadência rápida que explode num final que resume o que a Coca-Cola é: “Para todos.”

Desde esse dia, ficou também um bocadinho minha.
“Para os gordos, para os magros,
Para os altos, para os baixos,
Para os que riem,
Para os optimistas,
Para os pessimistas,
Para os que jogam,
Para as famílias,
Para os reis,
Para os mágicos,
Para os responsáveis,
Para os comprometidos,
Para os náufragos,
Para os de lá,
Para os que trabalham,
Para os de cá.
Para os românticos,
Para os que te querem,
Para os que não te querem,
Para os que te querem muito,
Para os que te querem pouco,
Para os bronzeados,
Para os nudistas,
Para os supersticiosos,
Para os originais,
Para os calculistas,
Para os carecas.
Para os que lêem,
Para os que escrevem.
Para os astronautas,
Para os palhaços,
Para os que vivem sozinhos,
Para os que vivem juntos.
Para os indecisos,
Para os beijoqueiros.
Para os primeiros,
Para os últimos,
Para os homens,
Para os precavidos,
Para ela,
Para os músicos,
Para os transparentes,
Para os que desfrutam.
Para os fortes,
Para os que se superam,
Para os que participam,
Para os que vivem,
Para os que somam.
Para os que não se calam,
Para nós.
Para todos.”

 

Quer continuar a receber notícias nossas? Subscreva a nossa newsletter!

Confirmo que aceito ser contactado para fins de email marketing.*

* Campo obrigatório

Quanto pesa a 10.digital no Movimento Saudável da Vitalis?

Sempre atentos ao mundo do marketing, soubemos que a Vitalis estava a fazer uma campanha baseada em pesquisas do Google para combater o sedentarismo.

O sistema era simples. Como se pode ler em artigo da Briefing, a “Vitalis desafia os consumidores a terem um estilo de vida mais ativo numa campanha de search. “Sofá”, “Tempo” ou “Futebol Online” são três de quinze palavras/expressões que, quando pesquisadas no Google, vão originar frases criativas que remetem para o #MovimentoVitalis”, convidando as pessoas a combater o sedentarismo.

Entusiasmámo-nos: tão simples e tão bom. Como é que ninguém se lembrou disto antes?


Not Bad! Not Bad!

E foi dessa pergunta que surgiram as dúvidas: mas o que impede um concorrente da Vitalis de aparecer antes dessa palavra-chave? E como é que a Vitalis consegue ter relevância suficiente para aparecer no topo das pesquisas (sim, porque não basta pagar ao Google para o conseguir).

Quando montamos a campanha, a Google avalia os critérios de relevância da nossa pesquisa em relação ao que os utilizadores encontram depois de clicarem no anúncio. Avalia as palavras-chave na página de destino (por isso é que, neste blog post, estamos a usar termos como Ikea, Conforama, Jom, Moviflor, tempo.py, accuweather, ipma, futebolaovivo e futeboltvgratis) e o tempo de permanência na página de destino, entre muitos outros fatores. Se os utilizadores clicarem e mostrarem que o anúncio foi relevante para o público-alvo, pagaremos menos pela publicidade que fazemos no Google.


E foi por isso que criámos este post. Criámos anúncios de Search e um copy para atrair todos os profissionais de marketing e CEO’s que, como nós, ficaram curiosos com a campanha e foram procurar os termos que a Vitalis tinha no Google. E desafiámo-nos a aparecer, durante o dia de hoje, à frente da Vitalis nas pesquisas do Google com muito menos orçamento do que a marca. Será que conseguimos?

10.digital entrou no Top de Agências Digitais do DesignRush.com

O site norte-americano www.designrush.com colocou a agência 10.digital no seu Top de Agências Digitais. Este Top é uma seleção de agências digitais com serviço completo, que combinam tecnologia, design, marketing e estratégia de negócios para promover uma marca através de branding, web design e marketing.

Além da 10.digital, a lista inclui as agências norte-americanas Havas, Bowen, Huge, DeVito/Verdi, Code and Theory, Merge Boston, Blue Label Labs, YML, Big Drop Inc, Avex Designs, Digital Operative e a inglesa Bear London.

O Design Rush informa que a 10.digital oferece os serviços de 360º Digital Agency Services, Ad Agency Services, Website Design & Development, Shopify, Digital Marketing, Paid Media & Pay Per Click e Social Media Marketing.

O Design Rush é um site pensado para ajudar profissionais de negócios a descobrir os melhores designs, novas tendências de marketing e estratégias de crescimento online. Ou, como refere o próprio site: um destino digital para inspirar a criatividade e a descoberta das tendências de marketing, design e tecnologia.

A nova estratégia digital e imagem da Expofacic tiveram assinatura 10.digital

 

Certamente já reparou que a comunicação da Expofacic está diferente este ano. A
nova comissão de organização do evento, a 10.digital e a Brandbiz foram as principais
responsáveis pela mudança.
Num trabalho que começou com a reconcepção de toda a identidade gráfica da
Expofacic e com uma nova estratégia de marketing, em torno do slogan “1000
motivos. 1 destino”, as três entidades trabalharam em conjunto numa comunicação
que, até ver, se tem revelado um sucesso.
Com novo site, novos grafismos, novo tom de comunicação, a Expofacic
lançou também um novo passatempo. A proposta era simples: quem participou só
tinha de se registar no site, podendo ganhar um ou mais dos 1756 prémios que havia para
oferecer, incluindo 25 bilhetes gerais e 125 convites diários. A lista incluía ainda 100
power banks e 50 headphones, entre muitos outros brindes. O passatempo terminou no dia 26 de julho,  e esteve disponível no site passatempo.expofacic.pt. Recorde-se que a Expofacic começou a 26 de julho, em Cantanhede, terminando a 5 de agosto.
Apesar de ser uma agência bastante jovem, a 10.digital tem vindo a acumular uma
experiência considerável na área de estratégia e de marketing, sempre partindo da
área digital. Esta é das primeiras oportunidades que a empresa tem de colaborar
numa campanha 360º e os resultados estão à vista.
Pedro Girão, CEO da 10.digital, apresenta alguns números que comprovam o retorno
da totalidade do trabalho da agência feito para a Expofacic. “Ultrapassámos a marca
dos 100.000 seguidores no Facebook este ano, o que torna o evento um caso de
sucesso no setor.” Adianta este responsável que, até ao final de junho, a marca
Expofacic tinha sido apresentada mais de quatro milhões de vezes, através de algum
dos seus conteúdos. Isto sem contabilizar julho, o mês em que o evento arranca
e atinge o seu auge de notoriedade.


Pedro Girão salienta ainda que até 30 de junho foram contabilizadas 52 mil reações
(gostos) a publicações, uma média de mais de 1000 reações (gostos) por publicação,
mais de 7000 comentários e 6000 partilhas de conteúdos Expofacic. A melhor
publicação de sempre, que apresenta o cartaz do evento, alcançou 295 mil
pessoas (até final de junho), tendo tido mais de 2000 partilhas. Por seu turno, o passatempo teve mais de 10.000 pessoas a participar apenas nos quatro primeiros dias.
“O impacto do passatempo foi muito grande e a mais-valia é enorme para
ambos os lados: o sistema criado permite às pessoas ganhar prémios e a empresa
garantiu que, todos os dias até ao início do evento, os participantes se lembraram da
Expofacic”, avalia Pedro Girão.
Apesar de a empresa já existir desde 2012, a marca 10.digital foi criada em outubro de
2016, fruto do trabalho realizado nos quatro anos anteriores, quando ainda não tinha a
atual designação. Tratando-se de uma agência tão jovem, além da Expofacic, conta
no seu portefólio com clientes tão relevantes como Licor Beirão, Bushmills, Honda,
Hyundai, supermercados E.Leclerc, Roca, Fly London, Lugrade ou Instituto Pedro
Nunes. “E haverá boas novidades nos próximos dias sobre alguns acordos com
grandes empresas que estamos a formalizar”, salienta Pedro Girão.

Gostaria de contar com o nosso apoio na realização do seu evento?

Licor Beirão surpreendeu fãs no NOS Alive através das redes sociais

Imagina-se num festival de verão, a fazer uma publicação nas redes sociais e a ser convidado pelo Licor Beirão para uma visita ao seu bar com uma bebida oferecida? É incomum, mas foi isso que aconteceu no NOS Alive’18!

O Licor Beirão esteve em força no evento, com três bares e através das redes sociais, que permitiram uma interação personalizada com os fãs. O “customer care” da marca, a cargo da agência 10.digital, é uma preocupação antiga, mas costuma ser mais reativo. Ou seja, os fãs abordam a marca, nomeadamente pelo Facebook, e a equipa da 10.digital responde às solicitações.

No caso do NOS Alive’18, a marca foi mais proativa, partindo dela o contato com os festivaleiros. Assim que se apercebia da presença das pessoas no festival, o Licor Beirão interagia com elas. Numa ação dinamizada sobretudo no Instagram e Twitter, essa interação permitiu voltar a oferecer entradas no festival que ficaram por levantar, bebidas, ou proporcionar o acesso à zona VIP a uma fã que, em 2017, tinha tentado lá entrar e não conseguiu.

Daniel Redondo, Diretor-Geral do Licor Beirão, vê como “muito positiva” a “excelente coordenação” que este ano foi conseguida entre as equipas online e offline. O responsável destaca a forma como se encontraram interessados nos ingressos das pessoas que, à última hora, desistiram dos convites oferecidos pelo Licor Beirão ou dos bilhetes que a marca atribuiu em passatempo. Através das redes sociais foi possível criar uma lista de “overbooking” para estes ingressos, garantindo que não fossem desperdiçados.  Daniel Redondo apreciou ainda o sucesso que foi a presença da mascote da marca, com muitos festivaleiros a interagirem com a garrafa animada.

Por seu turno, Pedro Girão, CEO da 10.digital, considera que “esta foi uma ação marcante porque permitiu surpreender as pessoas, partindo do digital e terminando no mundo real”. No Licor Beirão “o desafio é continuar a inovar e a transmitir os valores da marca em cada ação que é feita e esta tem todos os elementos que caracterizam a sua História, desde o seu nascimento: humor, irreverência e criatividade, aliada a uma vontade de premiar os seus verdadeiros fãs”.

As ofertas de bebidas foram feitas através de um sistema informático desenvolvido pela 10.digital. Tudo começa com a interação nas redes sociais. Segue-se a receção de uma mensagem no telemóvel do contemplado que dá acesso à bebida, comunicada informaticamente ao bar.

O CEO da 10.digital sublinha ainda o caráter eclético do Licor Beirão. A interação chegou a algumas figuras públicas, mas passou, sobretudo, pelo cidadão comum. Como sintetiza Pedro Girão, o “Licor Beirão é diferente: procura pessoas reais e não apenas celebridades”.

Para a história destes três dias intensos ficou a interação com centenas de pessoas comuns. Da Inês, que o ano passado pediu ao Licor Beirão para ir à zona VIP,  sem sucesso, e que este ano pôde visitá-la com o namorado. Ao José, que julgou ter sido convidado a beber um Beirão por ter sido confundido com um influencer, devido ao facto de ter um porco de peluche a acompanhá-lo, e a quem foi explicado que não era verdade: foi-lhe oferecido porque a marca gosta “de pessoas de carne e osso”.

Acabando na PSP, num post em que o Licor Beirão, em jeito de brincadeira, ofereceu bebidas, mas apenas a operacionais que não estivessem a conduzir e fora dos respectivos turnos de trabalho. A PSP confirmou que, se assim fosse, faria cara de Beirão… de outra forma, só teriam direito a cara de shot!

Acha que este trabalho poderá ser útil para a sua empresa? Então contate-nos! 😉

Os festivais de música já não vivem sem o marketing digital

Com o verão regressa a época dos festivais de música a Portugal. Um fenómeno com crescimento célere e, por certo, muitos de nós perguntamo-nos como é possível que todos eles – ou pelo menos os mais relevantes -, atraiam tantos festivaleiros.

Sabemos que, no continente ou nas ilhas, um festival de música é sinónimo de enchente de público. A moda dos festivais (há quem lhe chame boom) veio para ficar e ficou mesmo e a concorrência entre eventos (imagina-se que saudável) tem feito aumentar o seu reconhecimento nacional e internacional.

Como não podia deixar de ser, o marketing digital está em força nos festivais de música, potenciando a sua procura e atratividade. Até porque se trata de uma ferramenta de promoção acessível e de enorme eficácia. Uma partilha nas redes sociais é gratuita e pode chegar a muita gente.

Obviamente, os festivais de música já existiam muito antes do marketing digital e, sem o seu apoio, fenómenos globais como Woodstock ou o Rock In Rio – entre outros – cativaram multidões e conquistaram uma aura mítica na memória coletiva.

Mas hoje ninguém prescinde do marketing digital para promover festivais através de fotos, vídeos ou posts nas redes sociais, uma receita de efeitos comprovados. Outra estratégia passa pelo lançamento de concursos e passatempos, com prémios, como os disputados bilhetes de entrada ou o merchandising associado ao próprio festival e aos patrocinadores. A partilha destas iniciativas, destes posts, equivale a promoção gratuita.

Aqui na 10.digital desenvolvemos trabalho com provas dadas em eventos como a Expofacic, com quem trabalhamos nas últimas três edições, numa dimensão completa ao nível do marketing digital. Na edição deste ano, criámos inclusive toda uma nova imagem do evento. Em suma, uma estratégia 360º de marketing digital.

Também desenvolvemos passatempos em que ativamos marcas nossas clientes, em festivais tão importantes como o Rock in Rio Lisboa ou o NOS Alive. Neste último, o nosso cliente Licor Beirão ofereceu 100 entradas através de um passatempo criado e gerido por nós. E inovámos nos três dias do Alive. Recorrendo às redes sociais, interagimos com os festivaleiros, oferecendo-lhes bebidas e garantido que os bilhetes que ficaram por levantar à última hora deliciaram outros felizes contemplados.

Outra forma eficaz de promover estes mega eventos passa por colocar as estrelas que integram o cartaz a falarem do festival nos seus meios digitais que, nalguns casos, podem atingir milhões de fãs.

O mesmo é válido para os patrocinadores, que dispõem de máquinas de marketing digital poderosas. É público o interesse de relevantes empresas nos festivais realizados em Portugal, nomeadamente da área das telecomunicações e bebidas, devido à visibilidade e notoriedade que ali podem alcançar. De tal forma que por vezes até inserem o seu nome na designação oficial do evento.

Há também um lado prático das redes sociais. Permitem, por exemplo, anunciar rapidamente e com eficácia um cancelamento de concerto, uma alteração de palco ou de horário.

O pós-festival também é importante para completar as ações de marketing digital, com fotos, vídeos ou entrevistas. Quem não tem curiosidade em verificar se aparece ou não nas imagens? Estas ações são imprescindíveis para manter a ligação do festivaleiro ao seu festival e para o estimular a vir e trazer mais amigos à edição do ano que vem. Muitos vêem o vídeo do evento e pensam: “É pá, o que eu perdi! Para o ano não falho!”

Com tudo isto já ficou convencido do importante que é ter a 10.digital a colaborar na realização do seu evento?

 

10.digital compra a marca Positivimpact (e um rápido resumo de 2017)

10_Digital_Compra_Positivimpact

É raro escrever publicações em nome da empresa, mas o que hoje anunciamos merece uma excepção: a 10.digital comprou a marca Positivimpact, uma das suas principais concorrentes.

O negócio ficou fechado no final do ano passado mas, em janeiro, o foco foi o de garantir a melhor transição dos clientes. Isso adiou a comunicação da compra e, consequentemente, o balanço (público) do ano. Mas como mais vale tarde que nunca, aqui vai!

Em 2017, ano zero de lançamento da marca 10.digital, criámos uma equipa forte, competente e da qual é um orgulho fazer parte. Foi esta equipa que nos levou para outro patamar:

  • Neste ano, trabalhámos com 35 novos clientes que nos deram o privilégio de sermos a extensão do seu departamento de marketing digital;
  • Continuámos o trabalho, feito desde 2014, de evolução da estratégia digital do Licor Beirão (https://www.10.digital/pt/work/marketing-digital-licor-beirao/) lançando o Clube Beirão e tendo 30 mil participantes num dos passatempos, em apenas uma semana;
  • Desafiámo-nos a comunicar os valores da marca Licor Beirão de forma ainda mais irreverente, conseguindo acrescentar o humor em tempo real a todas as publicações das quais já éramos responsáveis, conseguindo resultados notáveis (https://www.10.digital/pt/work/humor-em-tempo-real/) – num projeto que nos valeu uma distinção nos Prémios Comunicação na competitiva categoria de Gestão de Redes Sociais;
  • Lançámos a nossa primeira campanha da 10.digital, aproveitando o humor em torno das promessas megalómanas feitas em período de eleições. Neste projeto, que começou nos outdoors e culminou no site istopromete.com, fizemos as únicas promessas que não vamos cumprir. Isto chamou a atenção da Briefing, que nos brindou com este artigo que reproduzimos no nosso blog: http://blog.10.digital/a-arte-de-atacar-oportunidades-a-10-digital-na-briefing/;
  • Culminámos o ano com a aquisição da marca de um dos nossos principais concorrentes, numa compra que garante o aumento da sua expertise na área de Performance Marketing;
  • E, tudo isto, com uma equipa sem comerciais (quem fala com o cliente são as pessoas que implementarão as estratégias e campanhas de marketing digital) e baseada numa forte estratégia de marketing digital. Afinal de contas, o nosso próprio crescimento é a maior prova de que acreditamos no que fazemos e que isso dá retorno.

Começamos 2018 com uma equipa maior, maiores conhecimentos e ambições renovadas. Com a aquisição de uma nova marca. Com o objetivo de manter o ritmo de crescimento que temos tido até agora, com novos e entusiasmantes projetos a surgirem continuamente.

Com o orgulho de sentir que a equipa está mais forte, mais capaz e que isso nos ajudará a manter a exigência máxima no nosso trabalho e a garantir o prémio que mais desejamos: a confiança e satisfação dos nossos clientes.

Mas porque as marcas são também – e principalmente – de quem as cria e dá tudo por elas, era inevitável deixar uma palavra a todos os que ajudaram a criar a Positivimpact. Parabéns por todo o trabalho.

Do nosso lado, garantimos uma coisa: vamos continuar o bom trabalho que têm vindo a fazer, sempre conscientes da pesada herança que nos deixam. Esperamos que acompanhem a 10.digital com o sentimento de que esta marca também é vossa.