Julho 19, 2018 Aníbal Rodrigues

Os festivais de música já não vivem sem o marketing digital

Com o verão regressa a época dos festivais de música a Portugal. Um fenómeno com crescimento célere e, por certo, muitos de nós perguntamo-nos como é possível que todos eles – ou pelo menos os mais relevantes -, atraiam tantos festivaleiros.

Sabemos que, no continente ou nas ilhas, um festival de música é sinónimo de enchente de público. A moda dos festivais (há quem lhe chame boom) veio para ficar e ficou mesmo e a concorrência entre eventos (imagina-se que saudável) tem feito aumentar o seu reconhecimento nacional e internacional.

Como não podia deixar de ser, o marketing digital está em força nos festivais de música, potenciando a sua procura e atratividade. Até porque se trata de uma ferramenta de promoção acessível e de enorme eficácia. Uma partilha nas redes sociais é gratuita e pode chegar a muita gente.

Obviamente, os festivais de música já existiam muito antes do marketing digital e, sem o seu apoio, fenómenos globais como Woodstock ou o Rock In Rio – entre outros – cativaram multidões e conquistaram uma aura mítica na memória coletiva.

Mas hoje ninguém prescinde do marketing digital para promover festivais através de fotos, vídeos ou posts nas redes sociais, uma receita de efeitos comprovados. Outra estratégia passa pelo lançamento de concursos e passatempos, com prémios, como os disputados bilhetes de entrada ou o merchandising associado ao próprio festival e aos patrocinadores. A partilha destas iniciativas, destes posts, equivale a promoção gratuita.

Aqui na 10.digital desenvolvemos trabalho com provas dadas em eventos como a Expofacic, com quem trabalhamos nas últimas três edições, numa dimensão completa ao nível do marketing digital. Na edição deste ano, criámos inclusive toda uma nova imagem do evento. Em suma, uma estratégia 360º de marketing digital.

Também desenvolvemos passatempos em que ativamos marcas nossas clientes, em festivais tão importantes como o Rock in Rio Lisboa ou o NOS Alive. Neste último, o nosso cliente Licor Beirão ofereceu 100 entradas através de um passatempo criado e gerido por nós. E inovámos nos três dias do Alive. Recorrendo às redes sociais, interagimos com os festivaleiros, oferecendo-lhes bebidas e garantido que os bilhetes que ficaram por levantar à última hora deliciaram outros felizes contemplados.

Outra forma eficaz de promover estes mega eventos passa por colocar as estrelas que integram o cartaz a falarem do festival nos seus meios digitais que, nalguns casos, podem atingir milhões de fãs.

O mesmo é válido para os patrocinadores, que dispõem de máquinas de marketing digital poderosas. É público o interesse de relevantes empresas nos festivais realizados em Portugal, nomeadamente da área das telecomunicações e bebidas, devido à visibilidade e notoriedade que ali podem alcançar. De tal forma que por vezes até inserem o seu nome na designação oficial do evento.

Há também um lado prático das redes sociais. Permitem, por exemplo, anunciar rapidamente e com eficácia um cancelamento de concerto, uma alteração de palco ou de horário.

O pós-festival também é importante para completar as ações de marketing digital, com fotos, vídeos ou entrevistas. Quem não tem curiosidade em verificar se aparece ou não nas imagens? Estas ações são imprescindíveis para manter a ligação do festivaleiro ao seu festival e para o estimular a vir e trazer mais amigos à edição do ano que vem. Muitos vêem o vídeo do evento e pensam: “É pá, o que eu perdi! Para o ano não falho!”

Com tudo isto já ficou convencido do importante que é ter a 10.digital a colaborar na realização do seu evento?

 

Tagged: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *